Das categorias:
página 1123...seguinte »
Carinha (convidado) 24 Sep 2017 14:08
in discussion Hidden / Per page discussions » One Way - Capítulo 27

Valeu Henrique!

Fiz uma rápida revisão, mas não comparei ao texto em Inglês ainda. Durante a semana, passo aqui novamente para ver se foi revisado.

por Carinha (convidado), 24 Sep 2017 14:08
Carinha (convidado) 24 Sep 2017 11:22
in discussion Hidden / Per page discussions » One Way - Capítulo 26

Valeu Henrique!

Destaquei os trechos que parecem precisar de revisão, numa primeira leitura.

por Carinha (convidado), 24 Sep 2017 11:22
Carinha (convidado) 24 Sep 2017 10:21
in discussion Hidden / Per page discussions » One Way - Capítulo 25

Valeu mais uma vez, Henrique!

Depois de mais de um ano… estou tentando me organizar para ajudar nas traduções novamente. Ainda estou tentando estruturar meu tempo para ajudar aqui de forma sistemática.

Eu comecei a revisar seus primeiros parágrafos, mas parei e decidi tentar outra estratégia. Já que os outros leitores não estão vindo revisar os textos já postados, e como são muitas traduções para eu revisar palavra por palavra sozinho, eu fiz uma primeira leitura e destaquei as partes que eu conferiria novamente no original.

Isso não quer dizer que elas estejam erradas, mas existe a suspeita de que algo pode estar diferente. Se não for por isso, talvez eu tenha destacado algum deslize de ortografia ou sintaxe. As mudanças sempre ficam disponíveis no histórico da página, então eu volto aqui durante essa semana para ver se temos algo de diferente.

Mais uma vez, obrigado por postar a tradução completa do capítulo!

por Carinha (convidado), 24 Sep 2017 10:21

Parte 10
Legal ter agora uma história a parte dos humanos Z que adiciona novidades a fic. A parte das referências eu não acho que o Kuririn falaria daquele jeito, nem nomeando outra pessoa como se pagasse pau, a não ser que ele virou um Genos da vida se é que me entende. :)

Parte 11
Gostei bastante da parte (capítulo?) 11. Interação dos personagens e andamento tiveram uma melhora. Achei legal a história e raças criadas para esse capítulo. Sei que Mahou é de magia e gostei da relação com o povo da magia, mas Ankoku é o que?

Tem uns errinhos, mas nada que uma revisão com calma não resolva.
No aguardo. (mesmo que os capítulos estivessem me aguardando esse tempo todo ^-^')

Re: Esperanças do Futuro por RazecRazec, 16 Sep 2017 00:56
PedroSantos (convidado) 19 Aug 2017 01:17
in discussion Hidden / Per page discussions » Universo 19 - Capítulo 8

Helior o Magnífico.

Helior, jóia do cosmos.

Helior, orgulho de uma nação, e objeto de desejo feroz por muitos outros. Um planeta com um clima perfeito de um pólo para o outro; Um prodígio nascido do anel extraordinário cujos poderosos emissores substituíram pelo comando da iluminação e do calor de um sol que não estava lá. Sua fonte de energia, aceleradores de partículas, foram integrados na enorme estrutura. Helior the Prosperous foi desfigurado por plumas maciças de fumaça que eram visíveis a partir de quilômetros ao redor.

As ruínas se espalharam por uma extensão onde, há alguns momentos atrás, batia o poderoso coração de uma das mais belas cidades de Heloïte. Enxames de unidades de transporte aéreo convergentes para a ferida aberta. Em alguns lugares, os materiais dentro das paredes destruídas onde se reconstruíram, apenas para cair novamente, sem o suporte estrutural necessário.

Em todo o lugar, os hospitais de campo foram implantados, ajudaram os prédios plantados para receber os sobreviventes. Aqueles poucos estavam chateados, chocados, atordoados e feridos que às vezes eram doloridos. As mães correram em todas as direções, as crianças gritaram, homens perturbados procuraram por aqueles que estavam perto deles. A força destrutiva tinha sido tal que os danos incluíam relés de comunicação civil, bem como a rede de energia. A cidade parecia um formigueiro que tinha sido devastado pelo pé de um gigante cruel. Um pé queimado.

Para o norte, as brigadas anti-combustão estavam lutando contra as chamas que estavam furiosas dentro do que costumava ser o parque industrial. As proteções das reservas de produtos químicos e compostos não foram capazes de suportar a força do ataque. A espinha escura monumental que crescia em direção ao céu era um sinistro presságio: os terrenos de Heloïte tinham sido profanados.

Do oeste, como se seguisse a trajetória da luz do anel planetário, as equipes de emergência se esforçaram muito para se reunir feridas e os corpos das tropas assaltadas derrotadas. Em todo lugar, cadáveres com uniformes azuis espalhavam o solo perfurado por gigantescas trincas carbonizadas, gemadas com crateras de dimensões às vezes impressionantes e salpicadas com detritos de aviões quebrados e robôs de serviço. Mais longe, na planície dos Brennos, as perdas estavam em milhares. Os regimentos de elite da Guarda, gema do exército Heloíte após os Ultras, foram profundamente derrotados apesar do seu pesado armamento e sua incontestável bravura. As enormes carcaças de dois destruidores pediram apoio, preenchiam o horizonte com nuvens de fumaça. Incêndios queimados dentro, consumindo os geradores de fótons, enquanto os esquadrões de robôs estavam empregados tentando afogar os motores derretidos sob torrentes de espumas absorventes de energia na tentativa de conter o risco de contaminação radioativa.

Um perímetro muito grande de mais de cem quilômetros de largura, composto de tropas terrestres, aviões de combate em vôo estacionário, cercou os vastos pomares das colinas de Tregor.

Sob a sombra das árvores frutíferas mantidas impecavelmente por robôs ocupados em seu trabalho interminável, três figuras estavam espalhadas.

Um homem com cabelos opulentos, seu corpo e armadura constelado com marcas de batalha, estava retornando ao grupo pequeno carregando um pedaço de um autômato equipado com uma rede. Raditz devorava ansiosamente uma fruta que tinha uma pele turquesa com manchas de laranja semelhantes às que sua bagagem continha.

- Você deve tentar isso, eles sabem como carne assada, perfeita!

- Não está mal, mas eu prefiro aqueles que me lembram do presunto do Testis. Embora a fila para o outro lado, é uma variedade doce com um perfume frutado que não é meio ruim, respondeu Nappa quando ele se deitou com a cabeça firmemente pressionada em suas mãos grandes. Ele cuspiu uma semente com precisão diretamente no rosto de seu amigo peludo.

Kiwi, sentado mais distante, levantou-se; Ele não parecia tão bom quanto os dois gourmets. Um corte médio correu através de sua bochecha esquerda e ele estava faltando uma grande porção de sua armadura de ombro do mesmo lado.

- Esperamos o tempo suficiente! Não há motivos para ir fácil com esses fracos! Nós saímos e destruímos as outras grandes cidades e acabamos com seu exército! Levante um monte de perdedores!

Vegeta, também deitada com os braços atrás da cabeça sob as sombras dançantes de uma árvore frutífera, parou de balançar o pé sobre o outro joelho.

Raditz e Nappa agiram como se não tivessem ouvido falar. O gigantesco levantou-se para pegar outra fruta. Ambos os cúmplices, aguardando uma boa brincadeira, simplesmente observaram o seu príncipe subir enquanto ostensivamente levando seu tempo.

Vegeta, menos marcado pelo combate do que seus companheiros, começou a andar em círculo ao redor de Kiwi, como um oficial superior que inspecionava um novo recruta. Isso teve o efeito de irritar o último para nenhum fim.

- Parece que você não entendia Lord Freeza; Você está sob minhas ordens, Vegeta! Expressou o lambente do tirano.

Vegeta parou apenas na frente do alienígena com a cabeça sobredimensionada. Embora fosse mais curto, era exatamente como o Saiyajin que parecia dominar a cena.

- Eu me pergunto o que Lord Frieza poderia encontrar interessante em você … disse Vegeta com slyly.

- Sem dúvida, o fato de que eu posso reduzir você para uma polpa de feridas feridas deve o impulso me levar! Respondeu Kiwi.

Um pequeno sorriso carregado de ironia adornava o rosto cruel de Vegeta.

- Assim como eu disse, você é de uma raça idiota, pobre Kiwi, ele continuou com seu sarcasmo carregado.

De repente, ele virou as costas para aquele que acabou de ameaçá-lo. Empurrando ainda mais, ele permitiu-se juntar as mãos atrás de suas costas enquanto caminhava como um aposentado.

- Vamos entreter a ideia de que você tentou me matar, por que não … ele começou. Note que eu disse "tente", porque mesmo se você fosse mais forte do que eu, você não sobreviveria contra todos nós. Admito que esse pequeno detalhe provavelmente escapou do nosso líder poderoso. Supondo que você matasse todos nós três, você realmente pensa que você poderia enfrentar sozinho as tropas de elite que chegarão em breve? Como diabos você pretende sair dessa bagunça que você faria sem nós, tão inútil como parecemos ser?

Ao se virar para oferecer seu sorriso zombeteiro ao alienígena, ele se divertiu ao ver o espetáculo da confecção de Kiwi com uma raiva mal contida.

- Estou avisando … recusou o alienígena, abruptamente cortado por Vegeta.

- Diga-me, seu scouter está enviando nossas conversas para a base … inaugurou o Saiyajin, um olhar diabólico sobre ele.

Tomado fora de guarda, Kiwi teve um momento de ausência. Ele não entendeu onde o bastardo estava chegando. O fato de que a conversa chegaria a Frieza estava condenando o insolente pirralho, ambos sabiam disso, então por quê?

- O que nosso senhor pensaria se ele entendesse que estava pronto para ir contra suas ordens? Rapidamente adicionou Vegeta.

Ele permitiu que o silêncio se instalasse, muito satisfeito observando a cor do alienígena de pele roxa avermelhada de raiva.

- Lembre-se dos nossos comandos: "Preserve o melhor possível o planeta e os cientistas". Onde vivem, os cientistas, você imbecil?

Kiwi tentou recuperar a calma, ele teve que recuperar a vantagem se ele fosse manter sua credibilidade frente ao tirano.

- Exatamente, não entendo por que … ele tentou.

Vegeta cortou-o mais uma vez, ainda mais seco.

- Esse é precisamente o problema! Você não entende nada … e quando você finalmente o fará, já será tarde demais! Balançou o Saiyan.

Os scouters emitiram um sinal sonoro em uníssono e todas as cabeças voltadas para a direção designada por seu aparelho ocular.

- Parece que nossos convidados finalmente chegaram, sorriu Vegeta.

Wigner, Fuller e Lidar estavam lançando fótons completos à frente, sua engrenagem de combate implantada, na direção do Tregor Hills. As paisagens de Helior carregavam os nomes do planeta anterior dos Heloítes, suas terras originais destruídas, inteiramente devoradas pela carbonita. Uma terra que a atual geração nunca conheceu. Nem todos puderam partir … muitos morreram. Os sobreviventes ainda sofreram mais antes que o anel artificial da luz fosse operacional e o novo planeta fosse hospitaleiro. Seu novo paraíso, os Heloïtes não o haviam roubado, eles o construíram, ganhavam. Eles o fizeram com suor e sangue, graças à ingenuidade dos inventores, à audácia dos construtores, à bravura daqueles que lutaram para defender e prover a colônia que teve dificuldade em sobreviver às condições de várias décadas no espaço.

Helior estava cobiçado, mas Helior nunca seria governado, nunca!

Os três Ultras ficaram em silêncio desde a sua chegada ao seu planeta natal. Durante os dois dias necessários para a viagem nos aviões mais rápidos de sua frota, eles seguiram, hora a hora, as filmagens dos estragos causados ​​pelos invasores.

Eles ficaram furiosos por não terem estado lá anteriormente para evitar o número de mortes nas terras natal; Mas também teve que deixar uma batalha na qual sua presença nunca havia sido tão necessária. Entre as tropas maltratadas pelos tanques, a ameaça dos drones, a necessidade de preencher os espaços vazios e acima de tudo … acima de tudo, seus dois companheiros que era impossível deixar ser levados vivos. Sem contato, sem qualquer solução rápida, Waals e Nim certamente perderiam. Talvez já estivessem.

Wigner, normalmente mestre de si mesmo, estava ferver dentro impaciente matar os intrusos e recuperar o mais rápido possível Dardan.

Radom pessoalmente, o Grande Mestre do Conselho dos Sábios, ordenou-lhe que tentasse descobrir se os intrusos estavam ligados ao Galasir. Ele também queria conhecer suas origens e a fonte de seu poder. Em suma, ele pediu a Wigner para não matá-los antes de subtrair informações deles. Ordens hostis. Restringir ordens. Pela primeira vez em sua carreira, Wigner foi tentado a ignorar um pedido.

Eles passaram por cima do cordão militar que cercava a zona onde os invasores haviam escondido inexplicavelmente depois que as tropas haviam tomado uma distância segura. Eles voaram tão rapidamente que não ouviram as ovações sob seu espelho cintilante.

Problema: os estranhos agressores, aparentemente, não estavam usando nenhum equipamento susceptível de ser detectado por seus radares, e ao contrário de Kolloks, suas assinaturas térmicas do corpo não diferiam muito de um cidadão Heloïte. O equipamento de Ultras ainda estava configurado para a batalha de Dardan.

Eles teriam que confiar nas imagens de câmeras realizadas por certos robôs agrícolas destinados a acompanhar o trabalho. Os drones de reconhecimento foram despachados para a zona, mas eles foram rapidamente encontrados e obliterados.

Sem armamento. Como esses fenômenos derrubaram o exército com apenas mãos nuas? E não apenas qualquer exército, a Guarda com o apoio de dois destruidores, no entanto!

Uma forma de mágica sem dúvida. Teria sido mais sábio poder matar à vista. Com os magos, haveria relações de costas. Não há necessidade disso, não agora! Sábios sangrentos! Helior não tinha necessidade de segredos de tricksters!

Desacelerando seu ritmo, os três Ultras começaram a procurar visualmente as encostas.

O quarteto esperava em cima de um dos pontos mais altos. Vegeta escolheu a área enquanto trazia uma grande clareira em meio a centenas de hectares de plantações de árvores frutíferas. No final da zona, que o arquiteto planejava floresceram, imensos hangares destinados a receber o incessante balé de robôs encarregados da colheita. A área normalmente servia para transportar mercadorias de carga para os consumidores. No momento, o trânsito havia sido interrompido em todo o setor. Somente os autômatos, perfeitamente autônomos, continuaram seu programa implacavelmente.

- Parece que eles estão nos procurando, observou Nappa.

- Eles são como as outras tropas, sem scouters, rir Kiwi.

- Bem, vamos ser civilizados e nos mostrar. Nappa … ordenou tranquilamente Vegeta, sem se preocupar com os olhares escuros lançados pelo membro adicionado de sua equipe.

O grande Saiyan simplesmente ergueu a mão direita, preguiçosamente como se estivesse fazendo algo bastante chato, e largasse uma grande bola de energia que subia um instante ao céu. A manifestação luminosa mal ganhou qualquer altitude antes de cair em uma trajetória encurtada em direção aos hangares em forma de meio-nuvens transparentes. Os gritos assustados de vários funcionários, sem dúvida que não conseguiram evacuar de antemão, escaparam antes da explosão que devastou o prédio com tanta força que soltou os cabelos de Raditz e Vegeta apesar da distância.

Objetivo alcançado. Dois minutos depois, Wigner, Fuller e Lidar pousaram em uma nuvem de faíscas e poeira a poucos metros de distância, em frente aos quatro esgoto.

- Quase precisamos esperar! Ostentava Vegeta, seu sorriso sorrindo no rosto.

por PedroSantos (convidado), 19 Aug 2017 01:17
Carinha (convidado) 26 Jul 2017 07:34
in discussion Hidden / Per page discussions » Twin Pain - Capítulo 29

Valeu Henrique!

Preciso me organizar para subir tudo… Acabei deixando as traduções esfriarem…

por Carinha (convidado), 26 Jul 2017 07:34
Henrique (convidado) 24 Jul 2017 22:18
in discussion Hidden / Per page discussions » Twin Pain - Capítulo 29

Traduzido!

por Henrique (convidado), 24 Jul 2017 22:18

-Parte 11

Anteriormente, vimos que após a saída de Piccolo e Mirai Gohan da sala do tempo e espírito, entraram Mirai Trunks e seu pai, Vegeta. Vimos também que Goku fora em busca das Dragon balls e que nossos guerreiros estão treinando arduamente no outro mundo com a supervisão de Hanzo.

Durante o dia inteiro, Son procura pelas dragon balls, reune todas elas ao final do dia e retorna ao templo de Kami. Chegando lá, ele pede para que Dende as guarde e que em caso de emergência as use, após isso o mesmo retorna a sua casa e se depara com Mirai Gohan, porém Goku e chichi não sabem que ele é o seu filho do futuro, surpreso ele pergunta:
-Você também é do futuro né? O que faz por aqui?
Responde o jovem:
-Eu acho que vocês são os únicos que ainda não sabem, mas eu sou o Gohan do futuro.
Seus pais ficam imediatamente chocados. Ele não se contém e fala:
-Eu fiquei feliz em vê-lo novamente, Papai. Mamãe também ficaria muito feliz com isso, mas infelizmente eu não pude trazê-la. O que me deixa mais feliz é saber que vamos evitar um futuro como o meu, onde só há destruição porcausa daqueles malditos androides, quando eu voltar irei destruí-los e depois ajudar as pessoas a restaurar a terra.
Eles continuam conversando até o final do dia.

No dia seguinte, Vegeta e Mirai Trunks saem da sala do tempo e espírito, o jovem havia mudado, agora um pouco maior e com cabelos longos, já seu pai não sofreu mudança alguma na aparência, contanto ambos ficaram extremamente fortes, porém Vegeta não estava satisfeito apenas tendo adquirido seu poder e vai a procura de Piccolo que estava fora do palácio a meditar, este percebe a estranha aproximação rápida do Sayajin, para de meditar e fica a espera. Quando Vegeta chega a ele e o desafia para um combate, Piccolo aceita o desafio, mas propõe uma coisa a ele:
-Vamos lutar em outro lugar para evitar causar danos ao templo.
Então ele responde determinado:
-Que seja.
Ambos voam em direção a um lugar deserto não muito longe, Mirai Trunks os acompanha. Em volta do lugar no qual haviam pousado havia alguns poucos relevos, o chão era gramado, não havia presença alguma de seres humanos pelo local. Ao primeiro movimento Piccolo retira sua capa e chapéu pesados, em seguida eleva seu Ki ao máximo. Isso alertou aos nossos guerreiros que estavam na terra e os atraiu. Em seguida Vegeta calmamente se transforma em Super sayajin e também eleva seu ki ao máximo, nesse momento Goku chega com Gohan e a sua versão do futuro para observar o combate. Ao passar de uma brisa, ambos ligam a aura e rapidamente começam um violento combate corpo-a-corpo. O choque entre os golpes causavam impactos que destruíam os relevos por perto. A luta estava intensa e totalmente empatada, até que Piccolo acerta um soco no estômago de Vegeta, em seguida um chute no queixo e pra terminar, outro chute que joga ele em direção a um pequeno relevo. Após colidir, Vegeta se levanta dos escombros com alguns arranhões, ao ver isso Piccolo fala a ele:
-Desista Vegeta. Eu continuo superior a você, não tem sentido nenhum continuar esse combate.
Após falar isso o principe limpa um pouco de sangue que escorreu pelo canto da boca e da um sorriso. Ele flutua até ficar de frente para o Namekuseijin, em seguida ele diz:
-Superior você disse?
Ele da uma gargalhada e segue dizendo:
-Eu não precisava usar todo o meu poder contra você, mas é só pra você parar de ser tão confiante.
Vegeta fecha os punhos e com os braços erguidos ele começa a aumentar mais o seu poder fazendo tudo tremer. Goku fica impressionado com tamanho poder e faz um comentário:
-Como esperado do Vegeta. Isso me deixa animado para lutar com ele.
Após aumentar mais do que antes o seu poder, ele para e pergunta:
-Preparado?
O Super-Namekuseijin fica em posição de combate. Vegeta ataca em uma velocidade incrível e, antes que seu oponente percebesse, recebe o ataque em cheio, voando por alguns metros. Ao se recompor Piccolo recebe outro ataque muito rápido, o atacante segue golpeando com socos e chutes, quando vê que já o machucou bastante ele provoca dizendo:
-O que foi? Você não disse que iria me derrotar?
Em resposta o verdão diz:
-Não me subestime!
Então ele se duplica e sua cópia prepara uma forte energia concentrada. Com seus dedos juntos surge entre as palmas de sua mão uma energia que estava sendo concentrada e emanava um grande poder. Em um dado momento ele lança a energia:
-GEKIRETSU KODAN!!!
Ela avançava em direção a Vegeta com um formato de um cometa. Antes que ocorresse a colisão, a outra parte de Piccolo aparece atrás dele e tenta jogá-lo contra a energia com um chute, porém ele havia percebido a presença do Super Namekuseijin e conseguiu agarrar a mesma perna que chutou mesmo de costas, em seguida ele segura, também, com sua outra mão e o joga contra sua própria energia e ao colidir provoca uma grande explosão. Durante esse meio tempo Vegeta aproveita e ataca a outra metade de Piccolo que, por um golpe, é jogado em direção a sua parte verdadeira que havia caído. Ambos voltam a ser um, então o Principe dos Sayajins desce e volta ao seu estado normal vendo que seu oponente não era capaz de lutar. Antes de ir embora ele afirma:
-O proximo será você Kakarotto. Eu vou lutar com tudo contra você, por isso se prepare.
Com um sorriso de empolgação no rosto ele responde:
-Eu também vou com tudo contra você.
Vegeta chama seu filho e vai embora.
Ambos os Gohan’s e Goku vão verificar se Piccolo estava bem. Eles decidem leva-lo para Dende curar suas feridas.

Enquanto isso no outro mundo, dentro da Sala Mística Temporal havia se passado mais de dois anos e meio, nossos Guerreiros pareciam estar treinando a Técnica do Kaioken, Kuririn e Yamcha estavam aprendendo, enquanto Tenshinhan parecia estar analisando alguma coisa. Durante o treinamento Tenshinhan menciona que dominou completamente o uso do Kaioken afirmando:
-Parece que descobri o porquê dessa técnica desgastar tanto… Parece que a quantidade de Ki que é liberado durante o aumento de poder é o que realmente desgasta o corpo, a vasão não controlada, por isso é tão nocivo para o corpo, é como ondas de impacto saindo rapidamente e passando por todo o corpo abalando toda a sua estrutura. Se eu conseguir controlar essa vasão tornando-a mais natural, dominarei completamente essa técnica, diminuindo drasticamente, senão todos os danos e também o cansaço.
Nesse momento eles se encontravam num planeta estranho com uma vegetação laranjado, um céu esverdeado e chovia constantemente nesse planeta. Eles já estavam lá há aproximadamente dois dias e já conheciam alguns nativos. Yamcha parece ter visto algo entre a vegetação e fala a ambos:
-Galera! Eu acho que vi mais uma daquelas bestas selvagens que os Mahoujins falaram. Não tenho muita certeza porque passou muito rápido.
Das arvores surge um sujeito estranho com cabelos longos e brancos, orelhas pontudas, olhos brancos e um olhar sem expressão, ele também usava brincos, um com um simbolo de um sol e o outro com o simbolo de uma meia lua, tinha uma altura média, era magro e sua pele era esbranquiçada, ele usava uma roupa estranha, pareciam vários panos rasgados. Este olhava fixamente para os nossos guerreiros que meio desconfiados já se encontravam em uma posição de combate, a fim de saber quem era Yamcha pergunta:
-Ei! Quem é você?
O sujeito estranho vai embora, simplesmente some de suas vistas e, com muita dúvida eles saem da floresta e voltam ao santuário no qual haviam passado os dois dias anteriores. Chegando lá eles encontram Hanzo a meditar e alguns Mahoujins fazendo o mesmo. Eles vão até Kazui que um dos dois sábios desse povo e descrevem o que aconteceu. Vendo suas dúvidas ele conta:
-Esse sujeito que vocês encontraram é de uma raça que começou a viver aqui há mais de quinhentos anos e nós a mais de setecentos anos, ou seja, eles chegaram duzentos anos depois de nós. Eles são os Ankokuseijins, uma raça de guerreiros que assim como nós tem a capacidade de usar magia, mas eles só conseguem usar magia negra, enquanto nós conseguimos usar qualquer tipo de magia, no entanto nosso povo é mais especializado em magias, por isso temos poucos Guerreiros que realmente se sobressaem. Já tivemos alguns conflitos durante todos esses anos que vivemos no mesmo planeta, mas nada tão grave. Eles querem o Cálice de Magus para criar uma geração com um super potencial e tomar controle de todo o planeta e, quem sabe, de outros.
Yamcha ainda com dúvidas pergunta:
-Cálice… De Magus?
Kazui também fala a respeito disso:
-Sim. É um Cálice Mágico criado pelo sábio antecessor a nós, capaz de despertar os poderes ocultos e garantir um maior desenvolvimento das habilidades de quem beber dele. Ele foi feito com o propósito de ser usado quando alguma ameaça maior viesse a nós, uma que não pudéssemos evitar ou vencer de alguma maneira. Mas com eu disse antes, nunca tivemos grandes conflitos com eles, sempre conseguimos mantê-los longe do Cálice e também de nossa civilização, graças ao nosso conhecimento com magias. Eu cogito dizer que suas pretensões são as mesmas dessa vez, mas fiquem tranquilos, eles não vão conseguir fazer muita coisa, ainda mais com exímios guerreiros como vocês ao nosso lado.
Após essa conversa, um mensageiro veio ao templo e relatou que havia Ankokuseijins se aproximando das vilas próximas ao Santuário. Kazui ordena, então que preparem os melhores Magos e Guerreiros para o combate, pega o seu Cetro que estava encostado perto de um trono para poder também lutar. Nossos guerreiros junto com os Mahoujins se preparam para confrontar os Ankokuseijins, mas ao avistá-los de longe percebem que eram apenas cinco, eles adentram a floresta em direção aos seus inimigos, estes percebem também a aproximação e se preparam pra um combate, o que era estranho, pois estavam numerosamente em desvantagem. O sábio e alguns de sua raça começam a recitar palavras estranhas. Nossos guerreiros partem para o ataque, porém ao se aproximarem caem em uma emboscada só que para capturar o Sábio Kazui, vários inimigos aparecem tentando captura-lo, mas o Sábio recua e é escoltado por seus homens, alguns morreram tentando protegê-lo. Nossos guerreiros tentam recuar, porém ainda permaneciam cercados. Visto que não havia outro jeito eles decidem lutar, porém ambos percebem algo estranho durante alguns minutos lutando contra vários inimigos, com isso Kuririn comenta:
-Não consigo concentrar meu Ki muito bem e nem sentir os Ki’s deles.
Tenshinhan e Yamcha afirmam sentir a mesma coisa e na pior hora o mesmo sujeito de antes surge, então um combate maior é travado entre ele e nossos guerreiros. Devido à dificuldade em controlar o próprio Ki, o que era muito estranho, eles não estavam conseguindo lutar direito e sem muitas opções, Tenshinhan sugere:
-Vocês, voltem para a vila e procurem ajuda. Eu vou segura-los enquanto isso.
O Kuririn se nega a ir e diz que quer ficar pra ajudar também, com isso, não resta escolha para Yamcha então ele volta. Chegando lá, o mesmo relata o que aconteceu e vai, também, ao templo falar com Kazui que estava perplexo com o que ocorrera há alguns minutos atrás, ouvindo o que Yamcha estava contando ele decide tomar providências e manda, junto ao Terráqueo, alguns guerreiros da vila, no entanto quando chegam ao lugar não havia mais ninguém ali e nem as presenças de Ki podiam ser sentidas, com o fracasso na busca a Kuririn e Tenshinhan, todos retornam à vila. No dia seguinte, enquanto tentava detectar alguma presença, Yamcha acaba sentindo dois Ki’s familiares se aproximando, no entanto esses tinham um aspecto maligno. Ao longe Yamcha consegue ver Kuririn e Tenshinhan vindo em sua direção, porém eles pareciam estranhos, isto se confirma no momento em que um deles ataca nosso guerreiro que sem entender nada, diz:
-O que aconteceu com vocês? Por que me atacam?
Ambos não respondem absolutamente nada e continuam a atacar. Sendo dois oponentes Yamcha fica apenas na defensiva, mas ele havia percebido que eles estavam mais fracos apesar de tudo, percebeu também que estes possuíam os mesmos brincos que o indivíduo estranho de antes usava e conclui que talvez esse seja o motivo deles estarem estranhos. Um Guerreiro da vila já chega dando uma voadora em ambos os atacantes e avisa a Yamcha que Kazui o chamou com urgência até o templo, ele hesita em deixá-lo sozinho contra dois, mas o Guerreiro o tranquiliza dizendo que virão outros ajudá-lo. Chegando ao templo, ele vê o Sábio segurando em suas mãos o Cálice de Magus, ao perceber a chegada do guerreiro Kazui o chama e lhe concebe o Cálice dizendo:
-Eu jamais imaginei que esse momento chegaria, e menos ainda que o nosso tesouro seria usado por um estrangeiro para o bem de nosso povo. Aceite com honra e tome com responsabilidade este Cálice, eu deixo em tuas mãos o destino de nosso povo.
Ele recita algumas palavras estranhas e o líquido dentro da taça fica brilhoso, Kazui entrega a Yamcha que bebe logo em seguida. Um poder grande começa a fluir dele seu corpo é envolto por uma aura que começa a brilhar forte, nem ele mesmo acreditava no poder que havia adquirido. Antes que partisse o Sábio chama-o novamente e diz:
-Venha aqui perto de mim.
Ao se aproximar Kazui coloca uma de suas mãos no tórax dele e recita algumas palavras estranhas, então ele sente algo o envolvendo. Após terminar, o Sábio lhe diz:
-Pronto. Agora você pode ir sem preocupações, eu coloquei um escudo anti-magia em você, vai durar o suficiente pra que você acabe com a ameaça de nosso planeta.
Yamcha rápidamente volta para o local onde estava lutando. Chegando lá, ele claramente vê que os Mahoujins estavam sendo derrotados por Tenshinhan e Kuririn que estavam sob controle de algo, não só isso como também algumas partes da vila danificadas. Ele libera todo o seu poder, chamando a atenção de todos que ali estavam. Com uma voadora Yamcha atinge Kuririn em cheio e termina usando sua técnica, o Roga fufu ken jogando o carequinha pra longe, inconsciente. Aproveitando essa abertura, Tenshinhan tenta atacá-lo, mas é pego de surpresa por um Mahoujin Guerreiro e imobilizado, então nosso guerreiro aproveita essa situação para tirar os brincos dele, mas ao chegar perto recebe um golpe. Yamcha se recompõe do golpe e percebe que é o mesmo Cara estranho de antes, novamente. No entanto, dessa vez ele conseguia sentir claramente o Ki dele e percebeu que tinha todas as chances de vencer. Um embate é travado por ambos, mas a vantagem do Terráqueo era esmagadora e seu inimigo foi facilmente derrotado. Yamcha, vendo que Tenshinhan permanecia imobilizado, rapidamente tirou os brincos de suas orelhas, agora ele parecia estar recobrando aos poucos a consciência. Sem demorar ambos vão à procura de Kuririn, eles conseguem encontra-lo através do seu Ki que estava baixo. Felizmente o carequinha estava apenas inconsciente, por isso a remoção dos brincos foi fácil. Ambos explicam exatamente o que aconteceu até antes de perderem completamente a consciência. Algum tempo depois Yamcha os acompanha até o lugar onde se escondiam os Ankokuseijins. Chegando lá, não hesitam e destroem o lugar inteiro, no entanto, dos escombros saem dezenas deles. Raivosos, partem para um combate direto contra nossos guerreiros, que vão derrotando um a um até não sobrar mais inimigos, após terem vencido a batalha eles voltam à vila. Chegando lá vão ao templo e relatam a Kazui que conseguiram parar a ameaça ao planeta. Uma tranquilidade se extende pelos restantes dois dias naquela realidade e finalmente voltam para o ambiente da sala, dando continuidade ao treinamento deles.

Estão todos se preparando para o Torneio de Cell, restam apenas sete dias para nossos Guerreiros. O que será que cada um está planejando para derrotar esse monstro inacreditável?

Alguns poderes:
Sujeito estranho(Ankokuseijin) : 700.000
Kuririn(Sob controle): 1.000.000
Yamcha: 1.050.000
Tenshinhan(Sob controle): 1.030.000
Kuririn: 1.150.000
Tenshinhan: 1.200.000
Yamcha(Poderes despertados pelo Cálice de Magus): 1.760.000
Vegeta(Pós-ST) = 20.000.000
Mirai Trunks(Pós-ST) = 20.100.000
Vegeta(SSJFP) = 1.000.000.000
Mirai Trunks(SSJFP) = 1.005.000.000

Re: Esperanças do Futuro por zVegettozVegetto, 06 May 2017 05:37

Jaja ta saindo a parte 11. Aguardem.

Re: Esperanças do Futuro por zVegettozVegetto, 18 Apr 2017 19:09

Razec
Muito bom o Feedback, eu estou trabalhando pra melhorar tanto a escrita quanto o enredo. As vezes parece corrido pois eu meio que tenho a ideia na mente e não algo escrito, tipo, como cada coisa vai acontecer ou como é aquele lugar ou, até mesmo, como vão se desenrolar as lutas, mas eu tenho um seguimento cronológico já pensado e quando eu quiser mudar alguma coisa pra o futuro da história ficar mais interessante ou de alguma forma mais flexível pra o enredo, eu simplesmente penso num jeito pra encaixar e geralmente da pra inserir na história, as vezes surgem ideias melhores a partir de outras que eu pensava em colocar. Eu espero fazer o melhor possível e, além de agradar os leitores, fazer uma história foda.

Virgillio
Valeu cara, agradeço teu apoio e de todos os outros que acompanham.

Re: Esperanças do Futuro por zVegettozVegetto, 17 Apr 2017 18:12

Ordens do rei

Os sons que podiam ser ouvidos eram nenhum que qualquer um poderia mesmo simular. No entanto, Chilled estava fazendo. Não era diferente do rangido de máquinas enferrujadas no trabalho, ou o som de um motor fraco, não que os saiyajins haviam ouvido o som de qualquer coisa perto disso. Estranhamente, o grito efêmero parecia distorcido.

Mas uma coisa estava clara. Esses sons estranhos significavam a morte de seu oponente. Ele então tombou, caindo no chão. Hanasia o seguiu.

Não … Ele ainda não estava morto. Seus olhos balançaram, abertos. Ainda mais espantoso foi que, entre esses estranhos gritos, ele falou. Isto é, para si mesmo.

- Eu posso … Eu não posso … não posso ser derrotado … impossível … isso não pode …

- Você foi - disse Hanasia. Ela então preparou o punho. Ela cortaria a garganta, se necessário. Ele tinha que morrer.

Ela golpeou, duro, realmente com muita força. Uma onda de choque foi produzida, rachaduras estavam se formando no chão, e destroços de casas espalhadas como resultado. Ele tinha sido decapitado.

De volta aos Tsufurujins, o alívio era uma palavra fraca para descrever o humor geral.

- Maravilhoso!

- Boa garota! Essa é a nossa saiyajin!

- Ela o matou … O matou! Nunca um Demônio do Frio foi morto por qualquer outro que não seja seu tipo até hoje!

- Mesmo?

- É o que nossos registros dizem, mas é altamente provável que o império dos Demônios do Frio tenha reescrevido a história. Em todo caso, se tivesse acontecido recentemente, você sabe, dentro dos milênios passados, nós definitivamente teríamos sabido sobre ele através das redes estrangeiras. Mas eu realizei uma pesquisa completa, você sabe. Nada.

- Ela fez bem em atacar quando o fez. Podíamos ver que ela o matou quando seu poder estava aumentando exponencialmente. Ela não poderia ter saído no topo se ela tivesse deixado ele passar por sua transformação.

- Sim, olhe para as filmagens. Como ele estava se transformando, todas as suas feridas estavam se curando!

- Enviem nossas equipes. Precisamos apoderar-se do corpo. Entre em contato com o conselheiro.

Na nave de Chilled, tudo o que restava era a tripulação de vôo. Eles não eram nem uma dúzia. E eles tremiam em suas botas. Seu senhor estava morto, e isso não poderia ter acontecido. Eles estavam em um ambiente hostil, o centro de atenção dos nativos, que são capazes de disparar explosões de energia. E sua nave não foi construída para a batalha. Que triste ironia. Um navio de guerra parecia desnecessário quando você tinha um Demônio do Frio que poderia sobreviver de lazer no vácuo do espaço para aniquilar qualquer navios atacando. Mas agora…

- Já terminamos? Apresse-se já!

- Sim, eu mandei todas as imagens dos acontecimentos ocorridos aqui, mas não vamos conseguir uma resposta até várias horas!

- Então vamos sair daqui.

- Você é louco? Se fizermos o menor movimento, eles nos atacarão.

- Temos de sair o mais rápido possível, passando para fora da atmosfera. Depois de alguns quilômetros, estaremos em claro.

- Eles vão ouvir os motores começarem!

- Não podemos ficar aqui!

- Meu senhor, você está vivo?

Ele está. Ele quase teve dificuldade em acreditar. Sua notável resistência tinha feito ele manter seu status como rei dos saiyajins por algumas semanas até agora. Mas ele já estava nos últimos dias de seu reinado. É claro que alguns saiyajins haviam reinado por períodos ainda mais curtos, mas ainda assim. Ele tentou colocar a mão em seu estômago para medir o dano feito a ele, mas ele não podia movê-la. Não era tanto que não estivesse enterrado profundamente dentro de espessos escombros, mais de modo que ele tinha perdido o controle sobre ele. Ele tentou mover seus outros membros, apenas para descobrir que ele só podia inclinar a cabeça. Um pouco para a esquerda, um pouco mais para a direita, e ele podia ver seu conselheiro, que estava flutuando na frente dele.

- Meu senhor, você tem uma ordem final para dar antes de termos tempo para encontrar um novo rei, um urgência, eu poderia acrescentar. Você poderia me ajudar com isso?

'' Você é apenas um espião vendido aos Tsufurujins'', o rei diria que se ele tivesse a força para falar. Então, ele acenou com a cabeça, não querendo morrer ali, preso nos restos de uma parede de castelo. Ele queria saber o que havia acontecido ali, e como a besta tinha sido derrotada.

O conselheiro libertou o rei das restrições que foram as ruínas ao melhor de suas habilidades, colocou-o de costas e voou para o local da batalha. Este pequeno momento foi dolorosamente doloroso para o monarca, mas ele era um saiyajin.

Vários saiyans haviam agora se reunido em torno de Hanasia, cuja transformação tinha se esgotado. A maioria deles voou. Quase todo mundo da capital poderia.

- Você é muito forte! - disse um dos saiyans - Você foi incrível lá fora!

- De onde você vem? Não por aqui - disse outro enquanto agarrava um pedaço de sua roupa, visivelmente diferente do que eles estavam acostumados a usar. Enquanto ela usava um pedaço áspero de pele de animal, todos usavam togas muito mais refinadas, que não cheiravam tão fortes nem coçavam.

- Diga, você é a guerreira do milênio?

- Saiyajin, qual é o seu nome?

- Onde você aprendeu a lutar?

- Saiyajin, como você fez a coisa com a luz?

- Ei, você gosta de saiyajns grandes como eu?

Apesar da destruição, apesar das centenas de mortes, todos foram embora.

por Guerreiro do FuturoGuerreiro do Futuro, 25 Mar 2017 23:52

_ Vamos, garotos, se apressem! Nós já estamos indo! – Vegetto chamou do corredor.
_ Legal! – exclamaram Goten e Trunks, enquanto desciam correndo as escadas.

Haviam se passado três meses desde a discussão. As coisas agora estavam mais fáceis. Goku e Vegeta estavam “mortos” há meio ano, todos já haviam aceitado que eles não voltariam mais, e também aprendido a aceitar Vegetto como uma pessoa independente. Na verdade, já gostavam bastante dele. A gentileza e paciência herdadas de Goku ajudaram muito, sem deixar de lado o humor peculiar de Vegeta.

_ Onde vocês vão? – perguntou Bulma.
_ Ao parque temático. Nós voltamos a tempo pro jantar. – explicou o saiyajin.
_ Tenham cuidado, ok?
_ Não se preocupe, tudo estará bem. – ele respondeu e beijou sua amada nos lábios por reflexo. Sua amada, que ficou… Sem fala. Vegetto ainda disse “te vejo à noite!” e apressou os garotos.

O saiyajin amaldiçoou aqueles hábitos que seus dois “pais” tinham, e assim, foram transmitidos. Bem, os cromossomos eram tão imprevisíveis quanto um cara-ou-coroa: 50% de chance… Ele tratou logo de voar e assim evitar aqueles terríveis conflitos interiores, também se certificando de que seus filhos não voariam longe demais. No ar, ele esqueceu tudo. O vento em seu rosto o acalmou e ele sorriu naturalmente.

Bulma, em casa, estava confusa. Aquele beijo havia sido um hábito herdado de Vegeta, ou foi um ato espontâneo de Vegetto? Ela estava louca para falar com alguém sobre isso, aquilo estava a consumindo, e também para pedir ajuda. Bem, com certeza não seria com ChiChi… E também não poderia ser com Gohan. Kuririn não saberia o que dizer, e quanto à #18, esses assuntos sempre a deixavam embaraçada. Restavam… Yamcha? Ele sumiu desde a vitória dos guerreiros Z. Só restava uma mulher com quem ela se dava razoavelmente bem, e também morava perto. Bulma pegou o telefone.

_ Alô? – ela escutou a voz de Videl.
_ Videl, é a Bulma!
_ Bulma! Como você está?
_ Estou bem! Mas eu preciso de um conselho, e queria ouvir a sua opinião. Você poderia vir aqui em casa?
_ Agora? Hum… Tudo bem, estou indo!

Nesse meio tempo, Bulma fez um café e colocou a mesa do jardim no terraço, pra deixar as coisas mais fáceis. Videl chegou 15 minutos depois, do ar.

_ Oi Bulma!
_ Videl! Por favor sente-se, eu fiz um café pra nós!

Videl agradeceu, sentou-se, e foi direto ao ponto:

_ Então, o que está te incomodando?
_ Bem… Agora há pouco, Vegetto foi com Goten e Trunks ao parque…
_ Isso é ótimo! Ele realmente é um pai considerável.
_ Sim… Mas quando ele estava saindo, ele me beijou.

Videl quase sufocou. Ela engasgou alto, e entre uma tosse e outra, conseguiu dizer:

_ O… O quê?!
_ Então! Eu não sei o que pensar sobre isso!
_ Mas se ele te beijou, isso quer dizer que ele sente alguma coisa por você, certo?
_ Bem, pode ser, mas Vegeta também fez isso antes. Então eu não sei se isso foi apenas um velho hábito que reapareceu.
_ Mas, mesmo se foi um reflexo ou se ele fez por vontade própria, isso mostra o que ele realmente sente!
_ Como assim?
_ Bem, ele nos contou que, ainda que ele tenha memórias de tudo o que aconteceu antes, ele pensa e age por si mesmo. Então, se ele não gostasse de você, não teria te beijado! Ou seja, ele pode ter herdado o hábito de Vegeta, mas são seus próprios sentimentos que vão fazer com que ele faça algo ou não!

Bulma pensou um pouco antes de responder.

_ Certo, mas… E se…
_ Olhe, se “se” e “e” fossem potes e panelas, nós não precisaríamos de funileiros… Com “se”, abelhas poderiam falar… Faça alguma coisa, pergunte a ele, porque se você não fizer, as coisas não vão andar.
_ Mas, e quanto a ChiChi?
_ Se ele não a ama, ele não pode ser forçado a isso, só por causa da memória de Goku. Gohan me contou que Vegetto vai vê-la a cada dois dias. Não é tão ruim, certo? Muitos homens não fariam nem perto disso.
_ Eu… Acho que você está certa…
_ Mas é claro! Eu estou quase sempre certa, se não sempre! – Videl brincou.

Elas passaram o resto da tarde juntas, falando sobre isso ou aquilo. Quando escureceu, Vegetto e as crianças apareceram no horizonte. Quando o saiyajin viu Bulma, ficou um pouco embaraçado, mas não demonstrou. Eles pousaram e Videl os cumprimentou.

_ Oi meninos! Se divertiram?
_ Sim! Foi… - começou Trunks, eufórico.
_ Realmente incrível! – terminou Goten, levantando um punho para cima.

Os dois garotos riram. Vegetto disse:

_ Seus dois monstrinhos, entrem e tomem um banho!

Goten e Trunks dispararam como se fossem dois cavalos de corrida. Bulma perguntou com um sorriso:

_ Eles te deram muito trabalho?
_ Bem, pra dizer a verdade, eu me diverti também! – ele admitiu.

Bulma sorriu. Videl, percebendo que estava de vela, se despediu.

_ Bem, está na minha hora! Nos vemos depois!

Ela levantou vôo imediatamente. Bulma tomou a iniciativa:

_ Sobre mais cedo… O beijo…

Vegetto se sentiu embaraçado também, mas não fugiu do assunto.

_ Eu o fiz porque… Eu quis.

Bulma olhou espantada e então Vegetto decidiu explicar melhor.

_ Na verdade… Eu já tinha feito minha escolha já faz algum tempo, mas você e ChiChi precisavam de mais tempo pra me conhecer. Eu não sei se você me corresponde, se você me ama.

Bulma realmente se sentia atraída por Vegetto. Para ela, ele era a mistura ideal dos dois extremos que Goku e Vegeta eram, um homem bem balanceado. Ela respondeu, escolhendo as palavras com cuidado:

_ Bem, eu… Eu me sinto atraída por você também. Mas ainda é muito pouco tempo, somente três meses…

Vegetto suspirou.

_ Eu sei. Vamos esperar um pouco mais. Você me diz o que sente quando… Quando você tiver certeza.

Bulma assentiu, e de comum acordo, eles não disseram mais nada sobre isso.

Na casa da família Son, ChiChi perguntava a seu filho mais novo, enquanto lavava a louça:

_ Então, meu querido, como foi seu fim de semana com Trunks?
_ Foi fantástico! Papai nos levou ao parque! E ele beijou a Bulma.

O som de um prato quebrando pôde ser ouvido.

_ O QUÊ?!

Bulma também estava lavando pratos, assobiando, quando o telefone tocou.

_ Alô?

A voz estridente e em tom não amigável de Chichi atravessou sua cabeça de um ouvido ao outro.

_ BULMA! QUE DIABOS VOCÊ FEZ?!

Bulma se perguntava se iria ficar surda depois disso. ChiChi estava literalmente guinchando do outro lado da linha.

_ GOTEN ME CONTOU TUDO! ENTÃO ELE TE BEIJOU!

Bulma fez um som como um murmúrio. Aquele pequeno dedo duro! Mas ela admitiu, sem esquivas.

_ Sim, é verdade.
_ E porquê ele fez isso?!
_ Ele me disse que… Ele disse que fez porque quis.
_ Mas… Mas… E quanto à minha família? – ChiChi gaguejou, já começando a chorar.
_ Ele não vai te deixar, não se preocupe! Mas eu disse a ele que deveríamos esperar um pouco mais. Ainda é muito cedo e… Eu não quero ir muito rápido e acabarmos todos nos machucando no final.

ChiChi não estava dizendo nada. Bulma estava preocupada.

_ ChiChi? Alô, ChiChi! Você está me ouvindo?

Mas a única coisa que Bulma ouviu foi o usual “biiip… biiip…” da linha. Ela desligou e, preocupada, ligou para Vegetto. Aquilo era uma vitória para as duas famílias, algo que Vegeta e Goku nunca tinham aceitado: carregar um celular. Já Vegetto podia ser encontrado e chamado a qualquer hora. Ele levava o aparelho em seu bolso ou preso em seu cinto, não no ouvido ou na frente dos olhos, métodos que quase o causaram choques.

_ Sim? – a voz baixa do saiyajin foi ouvida.
_ Vegetto, sou eu, Bulma. Estou muito preocupada com ChiChi, Goten andou contando umas coisas pra ela…
_ Não diga mais nada. Eu vou ver isso agora mesmo…

Ele desligou sem dizer uma palavra e se teleportou, para aparecer na frente de uma ChiChi em prantos.

_ ChiChi, o que está havendo?

Ela o abraçou e soluçou.

_ Por favor, não nos abandone! – ela gemeu.
_ Mas quem te disse que eu vou abandonar vocês?
_ Se… Se você namorar a Bulma… Você vai nos negligenciar e…
_ O quê?! – Vegetto disse alto. Ele não podia acreditar que uma mulher tão forte e confidente como ChiChi tivesse medos tão infantis. Ele pôs as mãos nos ombros dela.
_ ChiChi, mesmo se eu ficar com a Bulma, eu não vou abandonar você!

ChiChi olhou para ele esperançosa. Vegetto suspirou profundamente, e continuou:

_ Como você pode ter pensado isso?! Três meses de fato não são suficientes pra se conhecer alguém a fundo… ChiChi, você é minha família também, eu jamais faria isso!

ChiChi tentou se acalmar, mas não conseguiu parar de chorar. Vegetto suspirou novamente.

_ Vamos, pare de chorar… – ele disse, limpando as lágrimas de ChiChi com os dedos. Ela tentou sorrir.
_ Você está certo. O que eu fui pensar… Olhe, eu vou cozinhar sua comida preferida hoje à noite! Você fica?
_ Nesse caso, eu acho que eu vou! – ele disse, brincalhão.

Ela riu também e começou a cozinhar. Vegetto sentou no sofá e eles começaram a falar sobre tudo: o dia com Goten e Trunks, os preços exorbitantes nas cidades, o bom clima do verão, os animais esquisitos que Goten trazia das trilhas na mata… Bem, sobre praticamente tudo, mais ou menos como numa família normal. Vegetto realmente apreciou aquela discussão calma com ChiChi. Mesmo que ela fosse uma mulher do campo, ela era realmente uma pessoa com muita cultura e aberta ao mundo. Ela também apreciou essas conversas. Goku nunca foi de conversar, e o ambiente na casa agora estava positivamente diferente. Uma hora mais tarde, a comida estava pronta.

_ Maravilha! – Vegetto dizia ao mesmo tempo em que se sentava.
_ Espere, senhor más maneiras! Os garotos ainda não chegaram!
_ Mas eu estou com fome!
_ Você vai ter que esperar!

Vegetto concentrou sua energia nos seus filhos. Eles ainda estavam no meio da floresta. Ele pensou para eles:

« Gohan, Goten, já é hora do jantar! Voltem logo! »

Gohan e Goten se apressaram. Eles temiam o que Vegetto poderia fazer se eles atrasassem o jantar. Cinco minutos depois, eles estavam em casa. Gohan explicou:

_ Nós estávamos treinando um bocado!
_ Mamãe, eu encontrei uma tartaruga! Olhe! – disse Goten.
_ Sim, isso é legal, mas agora deixe-a ir. Ela tem que viver na natureza! – replicou ChiChi, tutelosa.
_ Sim, mãe… – murmurou Goten, desapontado.

E o jantar pôde finalmente começar. Vegetto devorou tudo o que estava ao seu alcance tão rápido que mesmo Gohan e Goten estavam olhando para ele, boquiabertos.

_ Tem mais?! – Vegetto perguntou com a boca cheia e estendendo seu prato para a frente.
_ Sim… – ChiChi respondeu, prontamente.

Gohan e Goten se apressaram a comer antes que seu pai devorasse tudo.

_ Tem um pouco mais?! – Vegetto perguntou pela sétima vez.
_ Não sobrou nada… – ChiChi respondeu. Era a primeira vez que ela via alguém comer TANTO, e isso era algo inédito, afinal ela já vivia com saiyajins há anos…

Gohan olhou curiosamente para seu pai.

_ Papai, tem alguma coisa errada?
_ Não, mas eu ainda estou com fome… Sinto que estou cada vez com mais fome!
_ Bom, vá para Bulma, pois aqui não sobrou nada… – ChiChi sugeriu.

Vegetto se levantou.

_ Eu virei amanhã pra passar o dia com vocês! Boa noite!

E ele desapareceu.

_ Ei Bulma, você tem alguma coisa pra comer? Eu estou absolutamente morrendo de fome…
_ Você sabe que horas são? – ela repreendeu.

Mas ela logo suspirou e se resignou.

_ Tudo bem, eu vou te preparar alguma coisa…

Uma hora depois, a mesma coisa aconteceu de novo.

_ Vegetto, você tem certeza de que você está bem?
_ Sim, mas… Isso é estranho…
_ Vá ver Dendê… Talvez ele saiba alguma coisa. – ela aconselhou, preocupada.
_ Tudo bem. Voltarei em dois dias pra passarmos tempo juntos. Até logo!

E ele desapareceu sem dizer mais nada. Quando chegou no templo dos deuses, ele imediatamente correu até Dendê e Piccolo.

_ Dendê, eu…
_ Eu sei. Eu vi tudo daqui…
_ Você sabe o que está havendo?
_ Não mais que você, mas aparentemente a comida da Terra não é mais suficiente pra você… Desde que você nasceu, você come mais e mais…
_ Mas… Então o que eu vou fazer? Eu vou morrer de fome?! – Vegetto exclamou, em pânico. Depois de todos os perigos que ele já havia enfrentado, ele iria ser pego por uma coisa estúpida como essa?
_ Eu tenho uma idéia. Vá até Karin e peça a ele que te dê senzus. – Piccolo interveio.
_ Boa idéia! Obrigado, Piccolo!

E ele voou templo abaixo. Karin estava esperando por ele, na beira da plataforma.

_ Karin-sama, eu…
_ Eu sei.
_ As novidades correm rápido hein!
_ Eu tenho três senzus! Pegue uma.

Vegetto engoliu a semente e se sentiu um pouco melhor.

_ Posso ter mais uma? – o saiyajin pediu timidamente.

Suspirando, o gato deu a ele sua segunda semente, que Vegetto devorou rapidamente.

_ Ah! Estou me sentindo bem melhor! Obrigado, Karin-sama!
_ Mas o que você vai fazer se a mesma coisa acontecer em cada refeição?

Vegetto gaguejou um pouco:

_ Ah… Er… Eu não sei! Não seria possível crescer mais senzus?

Karin ficou pensativo. Depois de alguns segundos, respondeu:

_ Olhe, eu vou pensar sobre isso. Pode ir para casa, eu vou te chamar assim que eu tiver uma solução pro seu problema.

Vegetto então foi embora, preocupado com o que poderia acontecer com ele. Traído pela comida… Quem poderia ter adivinhado?

:

Alguns poderes dos personagens atualmente nessa fanfic:

Gohan(Pós-ST) = 19.500.000
Goku(Pós-ST) = 20.000.000
Mirai Gohan(Pós-ST) = 20.200.000
Cell Imperfeito(Humanos absorvidos) = 280.000.000
Cell Semi-Perfeito(17 absorvido) = 620.000.000
Gohan(SSJFP) = 975.000.000
Piccolo(Pós-ST) = 980.000.000
Goku(SSJFP) = 1.000.000.000
Mirai Gohan(SSJFP) = 1.010.000.000
Cell Perfeito(Perfect Body boost) = 1.200.000.000
Mirai Gohan(SSJDND) = 1.212.000.000

Re: Esperanças do Futuro por zVegettozVegetto, 20 Mar 2017 08:48

Parte 10

Piccolo e Mirai Gohan Haviam entrado na sala do tempo e espírito e seguiam treinando. No outro mundo os nossos guerreiros se preparavam para treinar com Hanzo.

Lá estavam eles, em frente ao Homem que bloqueou seus ataques mais fortes. Após ter dito que iria treiná-los, Hanzo afirma:
-De fato, vocês tem uma força incrível. Os diversos guerreiros daqui estão em um outro nível superior aos seus, mas estes levaram centenas de anos. A julgar pelo tempo que treinaram e conseguiram essa força, acredito que o meu treinamento fará de vocês guerreiros inimagináveis. Bem, eu já testei a força de vocês, agora eu vou testar sua resistência. Só lembrando, não se preocupem com o alimento, ou com o sono, não sei se alguém lhes disse, mas vocês não precisam comer e nem dormir. Muito bem, vamos começar.
Ele instrui os Guerreiros a elevarem o seu Ki ao máximo e, também a tentarem manter sempre nesse patamar. Após alguns minutos ele diz:
-Já deu, podem relaxar o corpo. Agora teremos uma luta, vamos ver qual a capacidade de vocês em um combate.
Então se inicia uma luta entre eles e Hanzo, que mesmo estando em três era difícil manter um combate direto. Eles se juntam a uma longa distancia do velho e Kuririn bola uma estratégia, em seguida avisa:
-Ei. Eu tenho uma estratégia.
O carequinha apenas cochicha alguma coisa e após isso, o mesmo avança em direção a Hanzo, ao mesmo tempo Yamucha estava preparando um Soukidan. Tenshinhan flutua e fica apenas observando lá de cima. Kuririn, ao se aproximar do seu oponente, desfere um soco, que é facilmente bloqueado pela palma da mão de Hanzo, ele continua sem parar, com socos e chutes, porém parece fácil para seu oponente desviar e bloquear os golpes dele, quando de repente um grito:
-TAYOKEN!!!
Isso conseguiu cegar Hanzo, aproveitando essa situação, Yamucha lança o seu Soukidan, porém em alguns instantes ele recobrou um pouco da visão e conseguiu se esquiva pulando, o que ele não esperava era que Tenshinhan já estava bem próximo com o Kaioken, prestes a fazer o seu ataque. Ele é pego em cheio por um chute do Tri-olhos que acerta o estômago, seguido de um soco no rosto que o faz voar, porém antes mesmo que viesse outro ataque de Tenshinhan, Hanzo já havia se recomposto. Outro ataque inesperado acontece, enquanto ele prestava atenção em seu oponente, o Soukidan atinge suas costas, fazendo bastante fumaça com a explosão. Em uma fração de segundos ele aparece nas costas de Tenshinhan, e lhe da um golpe com as costas de sua mão que foi o suficiente para finalizá-lo… Vendo isso, os dois guerreiros restantes partem para o combate corpo-a-corpo, ambos desferiam socos e chute contra Hanzo, porém seu oponente era rápido de mais e conseguia se esquivar com facilidade dos ataques deles, ainda se esquivando ele consegue atingir Yamucha com um chute fazendo-o cair em direção ao chão, em seguida ele agarra uma das pernas de Kuririn, gira e depois o joga para cima, reaparece acima dele e o finaliza com uma cotovelada, fazendo-o cair também, após isso Hanzo pousa em frente aos três, que se levantam um pouco atordoados, então ele diz:
-Muito bem, vocês tem um excelente trabalho em equipe, vou levá-los a um lugar que ajudará no progresso do nosso treinamento. Fica logo atras de mim, dentro deste templo.
Ao se lembrar do templo de Kami-sama, Kuririn faz um comentário:
-Lembrando bem agora, o seu templo parece com o de Kami-sama.
Hanzo, um pouco surpreso os questiona:
-Espere um momento. Vocês conhecem Kami-sama?? Digo. Conhecem pessoalmente?
Tenshinhan então responde:
-É claro, ele já nos treinou.
Ainda surpreso, ele conta:
-Eu ouvia histórias de meu mestre que existia um Rei do Mal e o Kami-sama, que era sua metade boa. Quando eu ainda era vivo, achava que isso era apenas uma lenda boba, mas um dia, quando meu mestre já não estava mais comigo, eu dei de cara com aquele monstro e acabei sendo morto, porém eu deixei um discípulo muito promissor, seu nome era Mutaito. Bem, isso já faz uns quatrocentos anos. Vamos começar nosso treinamento.
Após essa conversa eles seguem Hanzo que anda em direção a sala misteriosa.

Enquanto isso, dentro da sala Do Tempo e espírito, Mirai Gohan e Piccolo treinavam arduamente. Em uma das pausas o Namekuseijin menciona:
-Droga! Maldito cell, mesmo com esse poder ainda não consigo derrotá-lo.
Gohan o alivia:
-Bem, de qualquer forma não lutaremos sozinho contra ele, se algo sair de controle não hesitar-lo-ei em quebrar as regras desse torneio, eu não quero ver um futuro como o meu, a primeira oportunidade que me aparecer eu irei destruí-lo e é pra isso que estou treinando.
Piccolo então, afirma:
-Tens razão. Você ficou muito forte des de que entramos, só estou conseguindo acompanhar a sua evolução por causa do potencial que Nail e Kami me proporcionaram.
Após essa conversa, eles voltam a treinar.

No outro mundo dentro da sala misteriosa… Hanzo conta para nossos guerreiros:
-Essa sala, eu dei o nome de Sala Mística Temporal, porque aqui dentro o tempo corre muito rápido, mas ela não tem só esse efeito, também pode nos levar a outros lugares do passado aleatoriamente, ou seja, aqui podemos dar de cara tanto com povos terríveis quanto pacíficos, por isso precisamos ter muito cuidado estando aqui dentro, ela também dificulta a liberação de nossa energia e a movimentação, por isso eu os trouxe para treinar aqui, vendo os seus potenciais lá fora acredito que conseguirão superar isso e ter bons resultados, além de treinar em diversos lugares nós podemos voltar pra a forma normal da sala, que é esta que vocês estão vendo.
A sala era completamente vazia o céu e o horizonte compartilhavam da mesma cor azul, com um vazio impossível de se ver o final.
Hanzo também afirma:
-Enquanto estivermos na aparência original da sala irei passar algumas atividades pra vocês, nós temos três meses dentro do estado normal e cinco dias pra cada lugar diferente, por isso temos bastante tempo pra treinar.
Receoso, Yamucha pergunta:
-Se nessa sala podemos viajar para o passado, tem alguma chance de viajarmos pra algum lugar do passado onde nós vivemos, ou um momento que já vivenciamos??
Responde o seu novo mentor:
-Sim. Isso é provável. Também é possível viajarmos aqui dentro, para o momento exato de nossas mortes. De qualquer forma vocês têm o livre arbítrio de mudar os acontecimentos aqui dentro, mas isso não muda o presente e, muito menos, o futuro. Bem, Comecemos o treinamento.

Durante três meses dentro da sala, eles revezam entre meditação e combate corpo-a-corpo, durante um de seus treinamentos a sala começa a mudar de forma, Hanzo menciona:
-Vejam! Está mudando.
A sala muda para um lugar cujo céu tem uma cor avermelhada, pois é iluminado por um Sol escarlate. Naquele local parecia estar tudo agitado, os nativos desse planeta estavam correndo desesperadamente, eles tinham um corpo semelhante ao de um humano, pele marrom e cabelos brancos. Nossos guerreiros avistam um grupo que parecia ser o que estava causando todo esse alvoroço, sem hesitarem eles atacam vários deles derrotando-os facilmente, uma minoria conseguiu recuar.
Um dos nativos para pra falar com eles:
-Vocês são muito corajosos, nosso povo tem sido massacrado por essa tropa que está tentando tomar posse de nosso planeta, nossos guerreiros lutaram contra eles e conseguiram resistir às tropas mais fracas, mas a elite deles é realmente muito forte, especialmente três homens que acabaram com dez de nossos guerreiros mais fortes, desejo muita sorte se vocês quiserem enfrenta-los e os agradeço, não sei de onde vieram e nem de onde são, mas se precisarem de qualquer coisa nós os ajudaremos.
Tenshinhan então pergunta:
-Só quero que me diga em que direção se encontra esses indivíduos.
Ele aponta para uma direção dizendo:
-É pra lá que fica as instalações deles, como não somos um povo de guerra quando eles se instalaram aqui pensamos que eram turistas como estamos acostumados a receber.
Antes de partir Kuririn pergunta:
-Mestre, você não vai vir conosco?
Então ele responde:
-Não. Deixarei vocês fazerem o que acharem melhor, eu não vou interferir em nenhum lugar, isso também é parte do seu do treinamento.
Sem demorar, os três partem na direção indicada… Algum tempo depois eles avistam alguns pequenos grupos desses soldados, tinham sempre a mesma armadura com um emblema no meio. Eles vão atacando esses pequenos grupos, quando Sentem três Ki's grandes se aproximando rápido. Um deles fala:
-Sargento, passe um relatório rápido para o comandante. Tenente cheque o poder de luta desses indivíduos.
Ele tira uma viseira do bolso e coloca no rosto e começam a aparecer alguns números, então ele afirma:
-O anão tem cerca de 57.000, o cara do cabelo grande tem cerca 54.000 e o cara com três olhos tem 76.000. Eles não são grande coisa, o Sargento poderia dar conta de um dos três sem muitos problemas exceto pelo tri-olhos ali, em todo caso eles não são páreos para nós.
Kuririn sugere:
-Vamos lutar no nosso máximo, quero finalmente testar o resultado dos treinamentos.
Yamucha e Tenshinhan acenam um "SIM" com a cabeça e, então eles começam a elevar seus poderes de forma monstruosa.
A viseira no rosto do Tenente começa a medir novamente os poderes crescendo, até que para em um ponto. Surpreso com ambos os poderes, ele diz:
-O QUE??!! General, dê uma olhada nesses poderes.
O outro pega a viseira para olhar, também fica impressionado e diz:
-Agora aquele anão careca tem 288.000 o cara do cabelão estranho tem 285.000 e o tri-olhos tem 296.000. Isso é um absurdo. Sargento, diga para o comandante que estamos com problemas. Vou tentar segurar isso até a chegada do comandante, eu teria chance se fosse apenas um contra um.
O tenente sugere:
-General, por que não fazemos um joguinho com eles?
Então o mesmo responde:
-Está certo. Vamos tentar convence-los de lutarem um contra um.
Em seguida ele fala aos nossos guerreiros:
-Ei! Duvido vocês me derrotarem no um contra um. Mas antes terão que passar por meus subordinados, também em um combate um contra um.
Eles aceitam o desafio, quem luta primeiro é Yamucha contra o Sargento, quando ambos se posicionam, nosso guerreiro rapidamente desfere um soco, fazendo seu inimigo voar em linha reta, antes mesmo que terminasse sua trajetória, Yamucha prepara e lança um Kamehameha, Obliterando seu oponente. O segundo combate é entre Kuririn e o Tenente, só que dessa vez o inimigo é que parte para o ataque primeiro, desferindo vários socos e para provocar ele diz:
-Hahahah!! Isso é tudo?? Você só consegue se esquivar dos meus ataques.
Kuririn some da vista de seu inimigo, depois acerta um chute potente no pescoço do seu adversário, ele pisa no chão, pula e, novamente, desfere outro chute que dessa vez acerta o outro lado do pescoço, quebrando-o totalmente, com isso seu inimigo cai agonizando e para finalizar, Kuririn da um salto e solta várias rajadas de Ki causando muitas explosões e acabando de uma vez com a sua luta. Depois é a vez de Tenshinhan lutar contra o General, este faz um comentário antes da luta começar:
-Não pense que será tão fácil me vencer quanto foi com os outros…
Com um olhar fixado, o tri-olhos se mantem concentrado e em posição de batalha, até que seu inimigo ataca e eles travam uma batalha relativamente equilibrada, esquivando e bloqueando um do outro de socos e chutes, só que Tenshinhan estava levando certa vantagem, pois seu oponente estava ficando cansado, enquanto ele ainda aparentava estar apenas se aquecendo. Ficando um pouco mais sério, ele parte para um ataque ao General, dando um soco cruzado no rosto, seguido por um chute giratório no mesmo lugar, fazendo-o tombar para o lado. Escorrera um pouco de sangue do rosto dele, então o limpa e diz:
-Agora eu vou te mostrar o meu verdadeiro poder.
Ele começa a fazer uma transformação e seu poder aumenta bastante. Agora ele estava maior e mais robusto, sem muita demora ele parte pra cima de Tenshinhan, que mal consegue ver o seu ataque e recebe o golpe, seguido de alguns outros. Vendo que não conseguiria vencer daquele jeito, ele usa o Kaioken e aplica uma barragem de Ki ball’s que acerta seu inimigo em cheio provocando várias explosões, assim deixando-o gravemente ferido, com isso o general volta a sua forma normal, não resiste e morre.
Eles voltam à vila e, passam-se pouco menos de quatro dias, estava tudo tranquilo novamente até que ambos sentem um Ki grande na mesma direção no qual lutaram antes. Curiosos, eles decidem novamente irem lá e ao chegarem se deparam com uma nave ligeiramente grande aterrizando. Pousando no solo, a porta da nave se abre e desce através de uma escada um indivíduo alto e magro, este era o Comandante. Com sua Viseira, ele mede o poder de ambos os guerreiros que estavam a sua frente e sem dúvidas afirma:
-Então foram vocês que mataram os meus melhores guerreiros e arruinaram a minha conquista a este planeta.
Depois segue dizendo:
-Como será que devo fazê-los sofrer antes que morram? De qualquer forma, vocês são só umas formiguinhas perto de mim.
Yamucha sente o Ki de seu oponente e alerta:
-Tomem cuidado, esse cara é forte, muito mais for…
Antes mesmo que terminasse de falar recebe um soco na boca e voa pra não longe, Kuririn comenta surpreso:
-Ele é muito rápido. Não consegui ver este golpe.
Tenshinhan dispensa palavras e simplesmente parte para o ataque, porém recebe também um golpe em suas costas. Antes que percebesse Kuririn recebe uma rasteira, eis que Yamucha vem andando ao fundo, confiante ele segue dizendo:
-Acho que já descobri o segredo dele.
Ele parte em direção ao Comandante, em poucos segundos antes de chegar até ele, Yamucha gira e chuta na direção contrária, acertando seu oponente em cheio. Após isso ele conclui:
-Bem como eu pensei, ele mascara o Ki em uma imagem falsa e ataca enquanto estamos prestando atenção nela. Parece um pouco com o Zanzouken. Eu acho que mesmo sabendo disso não podemos vencê-lo sem um plano.
Tenshinhan faz uma expressão séria e diz:
-Vou acabar com isso de uma vez. Kaioken aumentado trinta vezes!!
Ao liberar tamanho poder, provoca um impacto grande. A viseira no rosto do Comandante começa a medir novamente o poder, até que o medidor explode. Assustado com isso, ele fala:
-É de mais de dois milhões!!!
Em uma velocidade extrema, nosso guerreiro tri-olhos mata seu oponente com apenas um soco (Referencias), que arranca fora a cabeça dele.
Impressionado Kuririn comenta:
-Nossa!! Será que devo chamá-lo de O Homem de um soco?(Mais referencias)
Após essa luta ambos voltam a vila, e não muito tempo depois a sala volta a sua forma original. Eles seguem treinando sob orientação de Hanzo […].

No dia seguinte, pela manhã na terra, Mirai Gohan e Piccolo excederam o tempo de estadia na sala do tempo e espírito, eis que eles saem e logo vêem Vegeta e Trunks parados bem a frente ao templo, percebia-se que o cabelo do Sayajin havia crescido e lembrava ele quando criança, quando estavam saindo deixaram Mirai Trunks impressionado com seus poderes, porém vegeta tenta menospreza-los fazendo um comentário:
-O que foi? Ficaram esse tempo inteiro dormindo lá dentro.
Piccolo responde:
-Quer levar outra surra Princesinha?
Um pouco ofendido o Príncipe diz:
-O QUE VOCÊ DISSE!!? Bem de qualquer forma, quando eu sair, acertarei contas com você também, verme rastejante verde.
Após isso Vegeta segue em frente em direção a sala, enquanto Trunks se desculpa pelas palavras de seu pai, enfim ambos entram. Após isso Piccolo avista Mr.Popo junto a Dende, é justamente o momento em que Son-Goku chega com Son-Gohan por meio de seu teletransporte e pede para que o Jovem Kami-sama crie as esferas do dragão, em resposta a isso ele afirma:
-Para criar as esferas do dragão, seriam necessários mais ou menos três meses, esse é o mais rápido que posso fazer, a menos que tenham a imagem do Deus dragão da terra, ai eu poderia restaurá-las.
Mirai Gohan então pergunta:
-Você poderia também modificar o numero de desejos ou a força deles?
E ele responde:
-Sim, isso é possível, mas não da pra mudar muita coisa já que eu não sou o real criador desse dragão.
Piccolo pede que ele aumente o numero de desejo para dois, após isso Mr.Popo traz a estátua e entrega a Dende, que a coloca sobre o chão, põe suas mãos acima dela e começa a recitar algumas palavras em Nameko, algumas luzes saem da estátua e percorrem o mundo inteiro, restaurando as Dragon balls. Goku então começa a sua busca por elas, mas antes vai a casa de Bulma pegar o radar e de lá procurar pelas Dragon balls.

Pouco a pouco o torneio de Cell se aproxima, enquanto isso nossos guerreiros se preparam para uma batalha difícil.

Re: Esperanças do Futuro por zVegettozVegetto, 16 Mar 2017 22:18

Antes tarde que nunca… Vamos as correções da Parte 8:
No primeiro parágrafo já se repete o "Após" duas vezes consecutivo. Ddve converter um deles em "Logo depois" ou algo nesse sentido para melhorar a leitura.
A frase "(…) voltam para o templo de Kami-Sama, ao chegarem lá os corpos de Tenshinhan, Yamucha e Kuririn somem." ficaria melhor como "voltam para o templo de Kami-Sama e, ao chegarem lá, os corpos de Tenshinhan, Yamucha e Kuririn somem."
Faltou acentos circunflexo em algumas palavras como "te-los"(tê-los) e "mante-los"(mantê-los).

A frase "após isso ele toma 16 com os braços dele em seu ombro e parte em direção a casa dos Briefs." essa passagem me confundiu nessa descrição tomar com os braços. Aliás, "após" ali iniciou a frase com minúscula.

"-Hump! Eu avisei aqueles vermes para irem pra casa tomar leite."
Não é "café com leite"?

"o jovem anda um pouco se vira acenando com o "chau"(…)"
O "Tchau" tem um T e a frase iniciou ali com minúscula.

"-Será que você? Não pode ser. Você é o filho de Son-Goku??"
->"- Será que você? Não pode ser... Você é o filho de Son Goku?!"

"-Entendo. Por isso você sabia fazer o Makkankosappo. Deve ter sido muito difícil pra você no futuro Gohan. Está vendo aquela porta dentro do templo."
->"- Entendo. Por isso você sabia fazer o Makkankosappo. Deve ter sido muito difícil pra você no futuro, Gohan. Está vendo aquela porta dentro do templo?"

"-Eu pretendo entrar após a saida deles, quer ir junto?"
->"- Eu pretendo entrar após a saida deles. Quer ir junto comigo?

_
Esse capítulo pareceu apressado, tente deixar mais natural o passo das conversas e não deixar a troca das cenas ser tão brusca e repentina.

___
Correção da Parte 9:
"Mr.Popo o chama para explicar como se tornar um Kami-sama, nesse momento Goku e seu filho se despedem(…)"
->"Mr.Popo o chama para explicar como se tornar um Kami-sama e, nesse momento, Goku e seu filho se despedem(…)"

"-Eu vou mostrar todo o meu poder, e quero que me diga se tenho chances de vence-lo."
->"- Eu vou mostrar todo o meu poder e quero que me diga se tenho chances de vencê-lo."

"Pouco tempo depois, eles se aproximavam do local, quando estavam para chegar, de repente, Goku para de aumentar o seu poder."
->"Pouco tempo depois, eles se aproximavam do local e, quando estavam para chegar, de repente Goku para de aumentar o seu poder."

"-Olha aqui Kakarotto eu não estou pra brincadeiras, deixe de palhaçada e diga logo como conseguiu ficar mais forte em tão pouco tempo!"
->"-Olha aqui, Kakarotto! Eu não estou para brincadeiras! Deixe de palhaçada e diga logo como conseguiu ficar mais forte em tão pouco tempo!"

_
Tem ainda algo a se corrigir, mas é mais fácil usar um Microsoft Office da vida para corrigir o texto do que eu apontar a todos eles.
Esse capítulo foi muito interessante. Trouxe material novo um novo personagem e o potencial sendo desenvolvido entre os Terráquios Z.
Tente deixar o ritmo da narrativa menos apressado para não aparecer corrido e dá também descrição de coisas que vai dá ao leitor o entendimento dos sentimentos, pensamentos e expressões dos personagens e também a imersão na história que está lendo, podendo passar, por exemplo, o momento de tensão e liberação da raiva de Gohan SSJ2 que teria que ter mais detalhes por não ter auxílio visual e nem música para deixar épico, então quando chegar em um desses momentos: vai além da história original e adicione detalhes que vão auxiliar para criar um climax de uma cena.

Continue com o bom trabalho.

PS: Só agora pude dar meu feedback detalhado com meu PC, pois no celular não dá.

Re: Esperanças do Futuro por RazecRazec, 14 Mar 2017 23:45

Bem lembrado tinha esquecido, corrigi os erros, num ta 100% certo, mais eu curto usar umas sentenças tipo ''foi-se oque foi escutado'' sla, soa dahora

Você ainda pode editar o texto, nessas partes que eu grifei.

Re: Um sayajin chamado goku por zVegettozVegetto, 25 Jan 2017 14:52

Vlw aeh, tipo esse capitulo eu escrevi pelo celular, então os erros de potugues ja eram previstos kkk
Vou escrever o resto no Pc, corrigir tudo que der pra corrigir

Tente observar mais isso :
"foi um luta árdua para nossos guerreiros, mais durante um onda de ataques na direção do sayajin renegado"
"durante a investida os poderes do garoto subiram a um nivel imensurável, mais após um ataque de raiva seu poder voltou ao normal"
era pra ser Mas nesses pontos grifados. Mais é a ideia de intensidade ou soma "Vegeta, você ficou mais forte". Mas é ideia de adversidade a um acontecimento anterior "Vegeta você ficou forte, Mas não será capaz de me derrotar" ou "Vegeta está muito ferido, Mas ainda consegue se levantar"

outras observações:
derrepente na verdade é De Repente, é separado, assim como Com certeza

"Um grito de odio…raiva…e tristeza, foi-se oque foi ouvido" aqui você poderia ter escrito "foi o que se ouviu"

"do templo de kami-sama pode-se ver a luz do ataque, e o popio que se encontrava ali" Acredito que seria "Próprio". "nem a propiá chici" aqui também.

"tentou revidar mais in0vão" Aqui seria "Em vão"??

A história está interessante, estou no aguardo da próxima parte. A única coisa que falta é você observar mais esses pontos que te disse.

Re: Um sayajin chamado goku por zVegettozVegetto, 25 Jan 2017 10:09

Acho que não há muitos assim, mais alguém já se perguntou, e se raditz fosse derrotado sem a morte de goku mais….com a de outro personagem?'

Capitulo 1 - A furia seguida do sofrimento

Ambos os guerreiros, o sayajin e namekusejin pousavam no campo de batalha, do outro lado, outro sayajin com um cabelo que descia até a cintura e uma armadura marrom estava em pé de braços cruzados esperando a chegada dos 2 guerreiros, encarando os dois com um sorriso no rosto, com certeza de sua vitoria ele apenas ri e diz
- Hahaha, esse é o melhor que vocês tem?Um namekusejin fde raça guerreira com apenas 408 de Pdl, e um sayajin renegado com 416…vocês não tem a menor chance contra min, sugiro que se renda e venha comigo kakarotto
- Nunca se sabe até tentar!E eu ja te disse, meu nome é Goku! - Exclamou o sayajin das roupas laranjas
Após algum tempo de dialogo ambos os 3 guerreiros entraram em suas respectivas posições de combate, ao final do correr to vendo a luta se iniciou…foi um luta árdua para nossos guerreiros, mas durante um onda de ataques na direção do sayajin renegado, o sayajin de armadura marrom, através de seu scouter, percebe a distancia o aumento de poder drástico do garoto preso em sua nave, e em um ataque de raiva o garoto de roubas verdes lança um investida em direção do guerreiro que surrava seu pai, quando ele viu que o poder do garoto se equivalia ao seu ele quase congelou…mas apesar de não ser o mais forte, ele era um guerreiro…e bem treinado…ele sabia como lidar com situações assim, ele manteve a calma na situação e num momento de habilidade, ele desviou facilmente do garoto, acertando-o um golpe na nuca, durante a investida os poderes do garoto subiram a um nivel imensurável, mas após um ataque de raiva seu poder voltou ao normal, sem força para aguentar o golpe o corpo do garoto sayajin de apenas 4 anos caiu no chão, sem vida….
- Droga….acho que eu coloquei força demais nesse ataque, bem talvez ag… - Enquanto dizia sua frase ele se virou para ver seu scouter registrando números absurdos!500…700…1000…não 1400!Ele não acreditava no que via
- Como…ousa… - O sayajin das roupas laranjas apenas prensava os dentes enquanto apertava seus punhos a ponto de faze-los sangrar, sem sequer perceber que seu poder já havia aumentado mais de 3x
- Ele…ele tinha tanto poder assim na manga ainda? - Disse o namekusejin praticamente sem palavras devido a confusão com o aumento brusco de poder de seu companheiro de luta
- COMO OUSA ENCOSTAR NO GOHAN! - Sua aura explodiu, a ponto de arrastar o sayajin de cabelos longos e jogar o namkusejin para longe
- Mi…mil e….mil e setecentos….como…você? - Enquanto ele processava o acontecido, recebeu um soco que-o fez atravessar cerca de 2 montanhas inteira e parar na terceira em uma fração de segundos
Antes que ele pudesse perceber o soco ja sentia uma dor imensa no estomago, havia recebido um chute em cheio quebrando completamente a montanha onde estava, sua visão já se tornava turva, como um guerreiro como ele havia chegado a esse nivel?Porque ele não havia mostrado esse poder desde o começo?Havia mais dezenas de perguntas rodando sua cabeça, ele chegou a ver um borro laranja em sua frente, tentou revidar mas em vão… a cada soco errado ele recebia mais 3 com quase o dobro da força, ele tossia sangue, mesmo lutando…ele já sabia seu destino….de rrepente as dores paravam, inves de turva sua visão já estava quase completamente preta devido a sequencia de golpes, quando ele não via mas nada, sentiu o brilho de uma luz forte no rosto, ele conseguia sentir que vinha do céu e mesmo quase cego, pode ver a cor azul cobrindo seus olhos sem poder se defender ele apenas soltou o peso do seu corpo enquanto ouvia as palavras…
- KA….ME…. - Ouvia-se do céu a metros de distancia, a raiva nas silabas de seu ataque que saiam da boca desse guerreiro
- Mais….mais….esse é mesmo goku?Seu poder é…absurdo - A milhares de quilometros dali em sua pacata ilha, mestre kame conseguia sentir a pressão do poder de goku
- HA…ME - As montanhas em volta começavam a se desfazer com a pressão do ataque
- Se ele tinha tanto poder….porque não usou desde o começo?Porque ele não usou-o contra min?! - De uma montanha a uma distancia segura o namekusejin se perguntava essa e milhares de outras perguntas até que…
- HAAAAAA! - Um grito de odio…raiva…e tristeza, foi-se oque foi ouvido
E em uma explosão de luz incrível o ki do outro sayajin foi completamente exterminado em questão de segundos, seguido de uma explosão imensa, que pode ser sentida por todo o planeta o namekusejin que ali se encontrava foi jogado a um distancia absurda pela explosão gerando-o ferimentos leves…do templo de kami-sama pode-se ver a luz do ataque, e o popio que se encontrava ali, estava abismado com oque acabou de presenciar…ele apenas soa frio e permanece com sua expressão de espanto…no campo de batalha pode-se ver um campo de destruição equivalente…não!Maior do que um bomba nuclear, no meio da cratera o sayajin de roupas laranjas caia ao chão sem energia para mal sequer se manter em pé, enquanto ofegava ele começou a chorar….chorar como ele não chorava em anos, socando o chão e levando sua cabeça ao mesmo
- Eu poderia te matar agora sabia goku? - Dizia o namekusejin enquanto pousava perto do guerreiro
- Piccolo…por favor…agora não… - Ele mal conseguia manter uma palavra para falar com piccolo
- Tsk, como seu eu ligasse - Ele levanta um de seus dedos carregando uma rajada de energia, sem poder e muito menos vontade goku continua chorando
- Não! - Seu ataque foi parado por kami-sama que havia aparecido no meio dos guerreiros
- O que foi Kami?Vai tentar me impedir de novo? - Piccolo havia abaixado a mão, mas agora falava com um tom sarcástico
- Também não…vim até aqui te convencer - O guerreiro namekusejin parecia confuso com a afirmação
- Sobre oquê? - Piccolo pergunta
- Goku acabou de sofrer uma perda imensa agora nã…
- E oque isso me importa? - Piccolo parecia esta decido do que fazer
- Tudo bem…mas você que uma vez perdeu num combate justo contra ele, você um guerreiro como é…
- Eu não sou um guerreiro! - Piccolo aumentava cada vez mais seu tom de voz
- Mais você acha que matar ele nesse estado faria-o mais forte que ele!? - Os dois já estavam praticamente gritando, mas após essa afirmação, Piccolo tirou um tempo para pensar…
- Tudo bem…mas não ache que isso vai ficar assim! - Disse ele enquanto voava para longe
- Goku…eu vou curar seus ferimentos… - Kami não fazia ideia do que dizer….
Goku um guerreiro que mesmo durante batalhas e momentos sérios tentava manter o sorriso e a alegria, agora estava no chão chorando, ninguém nunca o havia visto nesse estado, nem a propiá chici, ele chorava enquanto reclamava do que aconteceu, mesmo durante a cura ele não conseguia se movimentar muito bem, afinal após quebras bruscamente os limites do propio corpo, quem não ficaria assim…longe dali após o termino do combate kuririn acompanhado de bulma e yamcha se dirigiam a origem desse poder imenso, afinal não poderia ser goku certo?A presença daquele Ki era um ki de odio ninguém havia visto goku com raiva, esse não era o amigo deles…aterrizando fora da cratera os 2 guerreiros e a mulher que os acompanhava mudaram sua expressão para um espanto, um cratera enorme, quase do tamanho de uma cidade e no centro dela seu companheiro…chorando, Kuririn e Yamcha foram ''correndo'' em direção a Goku, deixando Bulma para trás, que antes que corre-se atrás deles tropeçou em alguma coisa, uma pedra talvez?Do fundo da terra espalhada pela explosão ela tirou uma especie de ocolus com um lado e sem armação?Ela não entendia bem oque era aquilo, mas foi em direção a eles para mostrar sua descoberta. Pousando próximo a Goku já curado, Kuririn e Yamcha se puseram ao lado de kami-sama que não sabia como reagir aquela situação…kuririn foi o primeiro a fazer alguma coisa, pos-se ao lado de seu amigo de infância e começou a conversar, em questão de uma frase a cara de seus 2 amigos já era de desespero
- Como assim ele matou o gohan?! - Kuririn exclamou preocupado
- Mais…como? - Yamcha seguiu as perguntas
- EU NÃO FIZ NADA ! - O ki de goku aumentou de uma hora para outra, derrubando bulma na terra da cratera
- Goku… - Dizia kuririn com uma voz preocupada, afinal ele nunca tinha visto seu amigo assim…
- Eu fiquei parado…enquanto…enquanto… - Seu ki diminuiu aos poucos enquanto voltava a chorar
- Tudo bem goku…nós vamos sair agora mesmo em busca das esferas do dragão…vai ficar tudo bem… - Kuririn foi acalmando seu amigo que mal conseguia se manter sã de si mesmo…
- Eeeeiii - A poucos metros bulma vinha balançando o braço chamando os que ali se encontravam
- Eu…falo pra ela… - Yamcha tomou a responsabilidade de contar a ela afinal ele era seu namorado afinal de contas…
- Espera, vocês me fazem vir até aqui, e ainda me derrubam na terra?Que audácia a de vocês e eu ainda quase quebro a unha nessa especie de ocolus que parece mais um celul…. - Ela foi falando sem olhar a seu redor, tinha tirando o scouter e começado a apertar alguns botões, quando viu goku chorando
- Bulma…o gohan meio que… - Ele nem precisou falar mais nada e bulma já havia entendido tudo
- Oooo…goku - Com um tom de tristeza ela se senta ao aldo do guerreiro enquanto-o abraça quando de rrepente o scouter que ela segurava começa a apitar, confusa ela clica em um dos butões do aparelho para ver se desligava até qe…
- Raditz na escuta?Detectamos um poder tremendo vindo da direção onde você se encontra, você acabou estravazando demais com o fracote do kakarotto?…Raditz?….Raditz na escuta? - Todos ficaram calados enquanto uma voz falava sobre o aparelho, ninguém sabia o que dizer…
- Não, eu derrotei o amiguinho de vocês….e vou dizer uma vez….se qualquer um de vocês pisar o pé no meu planeta de novo, e ousar encostar um dedo naques que eu amo….eu não vou perdoa-los! - Goku havia tomado o scouter da mão de bulma e havia começado a falar, todos estavam impressionados
- Tsk, então aquele fracote do raditz realmente morreu, finalmente, ele há estava se tornando um fardo para nós…fique tranquilo kakorotto, não vou pisar no seu planeta nem encostar nos que você ama, vou destruir seu planeta e transformar em pó qualquer um que tenha qualquer relação com você - A voz falou isso com tanta calma que a raiva de goku so aumentava
- Você não vai sequer chegar perto do meu planeta!Esta ouvindo?!Se você ousar vir até aqui, eu vou te fazer desejar não ter dito isso! - O tom de voz do goku emanava muitos sentimentos…mais dentre eles raiva se destacava
- Olha, ele tem culhões para fazer uma ameça, escute aqui kakorotto, eu o príncipe dos sayajins me encarregarei de acabar pessoalmente com você…se prepare em menos de 1 ano chegamos ai… - Antes que qualquer um pudesse dizer qualquer coisa a transmissão foi encerrada…

[…]

Uma sayajin chamado goku por Virgilio JorgeVirgilio Jorge, 25 Jan 2017 02:35
página 1123...seguinte »